Quem Somos

 

PLATAFORMA FLORESTAS.PT

 

Conhecer, valorizar e cuidar
da floresta portuguesa

 

A plataforma Florestas.pt, criada em 2020, é uma iniciativa da The Navigator Company sob coordenação técnico científica do Raiz – Instituto de Investigação da Floresta e Papel, e o apoio da comunidade científica nacional e de várias instituições e iniciativas com ligação à floresta.

A plataforma Florestas.pt pretende afirmar-se como um centro de conhecimento sobre os ecossistemas florestais portugueses e temas relacionados. Agregando informação oficial e conhecimento técnico-científico sobre o setor, a plataforma parte de uma abordagem digital inovadora e transversal, que integra as diferentes dimensões e desafios colocados aos espaços florestais portugueses (de produção, conservação e lazer) e às suas espécies.

A plataforma Florestas.pt, tal como a própria floresta, encontra-se em permanente evolução. Mais do que um retrato estático das florestas portuguesas, é ponto de partida para uma sistematização de conhecimento e uma reflexão sobre temas transversais e atuais do sector. Nesse sentido, está em permanente atualização e recetiva a contributos. Esta é uma forma de ampliar e partilhar dados, informação pertinente e diferentes perspetivas sobre as florestas portuguesas.

A plataforma Florestas.pt baseia-se em fontes oficiais disponíveis sobre cada tema (devidamente referenciadas), não sendo responsável pelo conteúdo e eventuais lacunas existentes na informação de base ou pela existência de dados contraditórios. Cada tema tem por base um esforço de identificação, contextualização e interpretação de fontes relevantes e credíveis. Sempre que possível, apresenta-se informação de referência de nível nacional, europeu e mundial. Os conteúdos finais são depois partilhados com o público em geral, sem custos para o utilizador.

A plataforma Florestas.pt ambiciona um olhar sobre o passado, presente e futuro das florestas portuguesas. Do passado, a aspiração de contribuir para a preservação da memória histórica do sector florestal e das suas figuras mais emblemáticas. No presente, a partilha de informação rigorosa e acessível para que o valor e importância dos ecossistemas florestais nacionais cheguem a um público mais alargado. Para o futuro, a convicção de que é preciso conhecer a floresta para melhor cuidar e responder aos desafios que se colocam. Este é o desígnio da plataforma Florestas, também espelhado na sua Missão e Visão.

Missão

A plataforma Florestas.pt tem como missão recolher, sistematizar e divulgar informação e conhecimento abrangente sobre a floresta portuguesa, dando a conhecer a sua relevância, desafios e oportunidades, de uma forma clara e acessível.

Visão

Ser uma fonte de informação fidedigna e contextualizada, que partilha conhecimento state of the art sobre os ecossistemas florestais, que contribui para clarificar temas essenciais e que desafia a sociedade – todos nós – a conhecer, valorizar e cuidar da floresta portuguesa.

Ficha Técnica

Propriedade: The Navigator Company
Coordenação técnico-científica: Raiz – Instituto de Investigação da Floresta e Papel
Coordenação Editorial: Cristina Marques e Tânia Sofia Oliveira.
Conselho Editorial: Carlos Valente, Catarina Gonçalves, Catarina Manta, Daniela Ferreira, João Ezequiel, João M. Bandeira, José Luis Carvalho, Luis Muñoz, Nuno Borralho, Nuno Neto, Paula Guimarães, Pedro Silva e Sérgio Fabres.

Agradecimentos

A plataforma Florestas.pt agradece às diversas personalidades que, com a sua experiência e conhecimento, se associam a esta iniciativa e prestam o seu valioso contributo na revisão, aprofundamento, melhoria e sistematização da informação sobre as florestas portuguesas:

Alexandra Correia, Ana Cláudia Dias, Conceição Caldeira, Conceição Colaço, Cristina Máguas, Elisabete Figueiredo, Francisco Gomes da Silva, Henrique Pereira dos Santos, João Soares, Joaquim Cabral Rolo, Jorge Capelo, José Galvão Borges, José M. Cardoso Pereira, José Neiva Vieira, Luís Arroja, Maria Emília Silva, M. Rosário Fernandes, Mário J P Esteves Tavares, Miguel Bugalho, Nélia Aires, Nuno Guiomar, Pedro Ochôa de Carvalho.

Editorial

Na plataforma Florestas.pt, queremos partilhar a riqueza das nossas florestas, dar visibilidade ao que sabemos, ao que precisamos de conhecer melhor, aos desafios que enfrentam, às pessoas que nela trabalham, às possibilidades que encerram e às oportunidades que temos para participar na sua valorização.

A FAO (Organização das Nações Unidas para a Agricultura e Alimentação) define Floresta como uma área superior a meio hectare, com árvores de altura superior a 5 metros e cobertura de copas superior a 10%. De facto, há centenas de definições de floresta no mundo, outro tanto de tipos de florestas e uma imensa variedade de espécies florestais, habitats que albergam diferentes organismos, redes de interações, histórias, artes, tradições e recursos que delas obtemos.

As florestas são feitas de seres vivos e como tal são dinâmicas. A diversidade e composição das florestas têm sido profundamente influenciadas pelas atividades humanas. Precisamos das florestas para viver e elas precisam da nossa atenção. A nível mundial, a área global de floresta tem vindo a reduzir-se, ocupando atualmente cerca de 30% da superfície terrestre. Na Europa temos 38% de cobertura florestal e em Portugal a floresta representa 36% do território.

O nosso país tem uma grande diversidade de árvores, adaptadas ao relevo, solos e clima da paisagem. Desde espécies nativas (84 em Portugal Continental), a espécies exóticas que se estabeleceram no nosso território (cerca de 40), e espécies que se tornaram invasoras (cerca de 13, incluindo 8 acácias). A sua utilização, em áreas florestadas diversas, tem experimentado profundas alterações, acompanhando as condições socioeconómicas das populações.

De facto, os espaços florestais desempenham várias funções e serviços, para além da produção de bens e usos de recreio e enquadramento paisagístico. Historicamente têm apoiado o desenvolvimento da silvopastorícia, caça e pesca em águas interiores, como rios e albufeiras. Contribuem também para conservar habitats, espécies de flora e fauna, recursos genéticos e monumentos geológicos. Não menos importante é o seu papel de proteção microclimática, regulação da rede hidrográfica e mitigação da erosão.

Herdámos bosques, florestas monumentais, naturais, seminaturais, plantadas, mistas, puras, mais de conservação, proteção, produção e/ou lazer, bem ou menos bem cuidadas. Temos carvalhais, a floresta Laurissilva, o adernal, montados, soutos, eucaliptais e os pinhais. Todos conhecemos as matas ribeirinhas (povoadas com choupos, salgueiros, amieiros ou freixos), os bosques de montanha (ocupados por bétulas, carvalhos, teixos, azevinhos ou tramazeiras) e as serras (com zimbrais, carrascais, medronhais, louriçais ou azeirais) entre outras espécies. O ICNF (Instituto de Conservação da natureza e Florestas) identifica ainda Matas Nacionais, Arvoredo de Interesse Público, a rede Nacional de Áreas Protegidas, a rede Natura 2000, os sítios Ramsar e as Reservas da Biosfera, entre as zonas de conservação da natureza em Portugal.

O futuro da plataforma Florestas.pt, tal como o futuro da Floresta, depende de todos nós. Conheça, valorize e cuide!